É com muita alegria, que comunicamos a comunidade AME, e a sociedade civil em geral a UNIÃO das associações: ABRAME, AUCA, e ACLAME.
 
Cada vez mais, há necessidade de aliar recursos, competências, experiências de diferentes tipos de organizações para se alcançarem objetivos comuns. 
 
Discutiu-se o potencial estratégico dessa aliança: primeiro, lutaremos unidas pela aprovação e uso do medicamento Spinraza/Nusinersen por toda a comunidade AME no Brasil,tanto no âmbito público, quanto privado, segundo, enquanto forma de se buscar a sustentabilidade das organizações, que se apresentam vulneráveis às oscilações das fontes de financiamento tradicionais e que dificilmente geram receitas próprias; terceiro, como alternativa viável para minimizar as responsabilidades do Estado brasileiro na promoção do bem estar da população.
 
A própria Constituição brasileira de 88, embora não faça menção explícita ao termo aliança, prevê em diversos artigos formas de relacionamento entre os setores público e privado. A partir da Constituição de 88 estabeleceu-se como princípio básico a estratégia de ampliar a participação da sociedade na esfera pública. A lei, pela primeira vez, reconhecia que a tarefa pública é dever do Estado e da sociedade. Tratava-se de uma tentativa de construir o Estado a partir da sociedade e sob o seu controle. O Estado buscou, a partir de então, redefinir seu papel como fomentador das políticas sociais, mas não necessariamente como executor; procurou diminuir o seu tamanho, na medida em que adotou os princípios neoliberais, ampliou e fortaleceu as organizações civis. 
 
Nesse sentindo, nosso intuito, será trabalharmos JUNTAS em prol de todos os portadores de ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL no Brasil.
 
Aliança: JUNTAS, somos mais fortes!